quarta-feira, 8 de abril de 2015

Alunos do Estado terão poupança para não deixarem escola

Governo do Estado do Piauí 6 de abril às 06:00 A Seduc lança, em maio, o programa Poupança Jovem, destinado a reduzir a evasão escolar nas 44 cidades do Piauí com pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Com recursos do Banco Mundial, a iniciativa vai garantir uma poupança de R$1.500 a cada estudante do Ensino Médio paga em parcelas anuais. Quer saber mais sobre o programa? Acesse: http://zip.net/bmq2Wk http://www.piaui.pi.gov.br/noticias/index/categoria/2/id/18986

domingo, 15 de março de 2015

II ETAPA - CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES E COORDENADORES PEDAGÓGICOS – Picos/PI

Aconteceu na Unidade Escolar Polivalente Desembargador Vidal de Freitas, nos dias 24, 26 e 27 de Fevereiro de 2015, tendo como orientadora de estudos a professora Katiúscia Barros Moura, a II etapa do curso de formação continuada dos professores e coordenadores pedagógicos. Um dos objetivos do evento foi contextualizar as contribuições das Ciências da Natureza, Linguagens e Matemática para a formação do estudante do Ensino Médio.

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Imagem de São José dormindo

“Eu gostaria de dizer a vocês também uma coisa muito pessoal. Eu gosto muito de São José porque é um homem forte e de silêncio. No meu escritório, eu tenho uma imagem de São José dormindo, e dormindo, ele cuida da Igreja. Quando eu tenho um problema ou uma dificuldade, e o escrevo em um papelzinho e o coloco embaixo de São José, para que ele sonhe sobre isso. Isso significa: para que ele reze por este problema” Papa Francisco http://www.facebook.com/padrereginaldomanzotti

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Historinhas do Padre Moreira (O propósito do sofrimento)

Contada dia 23/02/2014 Era uma vez um rei que queria nomear um de seus súditos para um alto cargo. Mas, ao invés de dar-lhe a colocação, ordenou que o homem fosse jogado na prisão. O homem ficou muito surpreso, pois tinha a expectativa de receber privilégios. O rei ordenou, a seguir, que o homem fosse retirado da prisão e espancado com bastões. Novamente, o homem não conseguia entender, pois ele achava que o rei gostava dele. Depois disso, foi pendurado pelo pescoço, até ficar quase morto. Quando o homem recuperou suas forças, perguntou ao rei: - Pensei que o vossa majestade gostasse de mim. O rei respondeu. - Claro que gosto. O homem então perguntou: - Se gostas de mim, porque fazeis todas estas coisas comigo? E o rei respondeu: - Eu quero nomeá-lo meu primeiro ministro. Tendo passado por todos estes sofrimentos você agora está melhor qualificado para o cargo. Eu queria que, sentindo em si próprio, soubesse como é ser punido. Então, quando você for forçado a punir os outros dessas formas, saberá como é, pois passou por elas. Por te amar, eu quero que se torne perfeito. http://psfa.com.br/historinha_2014_O_proposito_do_sofrimento.htm

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Estudante picoense é semifinalista na Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro

Um picoense é semifinalista na Olimpíada de Língua Portuguesa 2014, no gênero Artigo de Opinião. Isael Pereira de Sousa foi vencedor das etapas Municipal e do Estado, portanto, um dos finalistas para a etapa regional. Ele viajará para Brasília - DF acompanhado da professora Ivanete. Lá, Isael estará participando de atividades relacionadas à produção de textos e da cerimônia de premiação da 3ª etapa nos dias 17, 18 e 19 de novembro do ano em curso. Ainda convém ressaltar, que o mesmo poderá ganhar a etapa regional e, quem sabe, chegar à final, no dia 1º de dezembro. “Estou torcendo muito para que, em dezembro, voltemos a viajar para a capital federal”, disse a professora que tem dado todo apoio ao aluno. Da redação IMAGEM: professora http://piauinoticias.com/site/educacao/45452--estudante-picoense-e-semifinalista-na-olimpiada-de-lingua-portuguesa.html

terça-feira, 25 de março de 2014

Advogado morre após colidir com Scania na BR 316

PICOS - Faleceu na noite deste domingo (23), o advogado José Olímpio da Silva Moura, vítima de um acidente na BR 316, na altura do povoado Fátima do Piauí.
José Olímpio tinha 51 anos. (Crédito: Antonio Rocha) De acordo com informações, o carro dirigido por José Olímpio, um corsa sedam preto, chocou-se frontalmente com uma Scania. O advogado não resistiu aos fermentos e veio a óbito no local do acidente. José Olímpio tinha 51 anos, era natural de Dom Expedito Lopes e residia atualmente em Picos, onde possuía um escritório de advocacia e era casado e tinha uma filha. De acordo com informações de familiares, o corpo do advogado será velado em sua residência em Picos, e às 16h será levado a Dom Expedito Lopes, onde será velado até a manhã da terça-feira (25) quando será sepultado. Com informações Portal Del Foto: Antonio Rocha/Canabrava News http://www.canabravanews.com/2014/03/advogado-morre-apos-colidir-com-scania.html

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

8 formas de avaliar sem ser por múltipla escolha

Especialistas trazem outras alternativas para que professores se atentem a outras ferramentas de medição de conhecimento "A prova vai ser dissertativa ou de múltipla escola?". Quem é o aluno, às vésperas de uma prova, que nunca se inquietou sobre como seria avaliado? Em carteiras enfileiradas, sem poder mexer o pescoço para o lado: ameaça de "pesca" ou "cola" (a depender de onde o aluno venha)! Mas serão apenas essas as únicas formas de avaliar o aprendizado dos estudantes? Não! É o que apontam especialistas, que vêm trazendo outras alternativas para que professores se atentem a outras ferramentas de medição – especialmente às da vida real. Por exemplo, uma maratona ou um concurso de dança poderiam valer créditos à disciplina de educação física ou então um trabalho voluntário no bairro valer como nota para a disciplina de estudos sociais ou língua portuguesa. Confira então oito dicas que podem ajudar esses educadores sobre como avaliar os estudantes sem ser por meio de testes padronizados. 1. Games Mais e mais jogos estão sendo criados não apenas como uma forma de entretenimento. Os games educativos, por exemplo, permitem aos alunos que aprendam o tempo inteiro enquanto jogam, na medida em que vão passando de fase –ao contrário de uma prova tradicional. Cada estudante tem seu próprio ritmo de aprendizagem, o que traduz o grau de cada um. Um bom exemplo é o Manga Hi e os games que estão sendo desenvolvidos pela Tamboro, empresa brasileira que se dedica exclusivamente à criação de jogos educativos. 2. Desafio Por que marcar X numa prova, se na vida real somos avaliados de acordo com aquilo que fazemos e as atitudes que tomamos? Não é raro escutar por aí que, em vez dos clássicos testes de múltipla escolha, os professores deveriam avaliar seus alunos a a partir de desafios da vida real. Essa modalidade de avaliação funciona assim: o professor dá uma missão para o aluno e ele, com as habilidades que vem desenvolvendo na escola, precisa resolvê-la. Essa missão pode ter inúmeras características. Nos EUA, a startup Rad Matter serve como uma vitrine para que os alunos mostrem seus talentos a empresas que estão buscando jovens profissionais. A cada contato entre empresa e aluno, uma missão é dada e o aluno é desafiado a conclui-la. Na escola, o desempenho dos alunos nessas missões podem ser considerados para compor sua nota na disciplina mais cabível. No Brasil, uma iniciativa está levando alunos da periferia de São Paulo a praticar esportes radicais, como escalada ou Le Parkour. A intenção é fazê-los sair de suas zonas de conforto e desenvolver regras de convivência, trabalho em equipe e autoconhecimento. 3. Badges e pontos Os badges (em um paralelo simples, como se fossem medalhas dos escoteiros) vêm se popularizando como um mecanismo de recompensa em jogos casuais e redes sociais como foursquare.com – na qual o usuário faz um check-in e, por isso, ganha pontos a cada lugar em que marca onde está. Transportados à educação, os badges podem ser usados para demonstrar a conclusão (bem sucedida) de uma atividade. Um exemplo disso é o Codecademy, site que ensina aos estudantes a programar. E a cada nível de codificação que avançam, eles vão recebendo badges e ganhando pontos. 4. Trabalhos reais Outra forma de avaliação é o incentivo aos estudantes para que saiam para fora da sala de aula e realizem trabalhos de verdade. Na Catherine Ferguson, nos Estados, escola dedicada a adolescentes grávidas ou que já se tornaram mães, parte do currículo das alunas é composto por trabalhos bem mão na massa, como ajudar a construir casas, nos bairros vizinhos, para colegas que não têm onde morar. 5. Lideranças virtuais Estudantes mundo afora estão realizando trabalhos incríveis... Mas não na escola. Eles estão fazendo vídeos virais, escrevendo textos ou publicando seus próprios blogs etc. Considerado um paradigma atual, o problema é muitas escolas ainda não entenderam que podem contar com a internet e as tecnologias móveis para potencializar o talento de seus alunos. O que acaba acontecendo é que o mundo da escola e o virtual ficam totalmente separados e muitos talentos deixam de ser valorizados. Um exemplo que ilustra isso é o caso da menina Isadora Faber, que criou um blog para denunciar os problemas de sua escola e inspirou inúmeros Diários de Classe no Brasil. Já em uma matéria apresentada pelo Porvir, é possível saber como professores devem lidar com jovens talentosos. O que os alunos fazem no universo virtual podem e devem ser considerados nas disciplinas de comunicação e expressão. 6. Talentos Ao contrário dos pontos oferecidos apenas para as atividades realizadas na escola, por que não oferecê-los para atividades realizadas também para além da sala de aula? Por exemplo, uma maratona, um concurso de dança ou um torneio de vôlei poderiam valer pontos na disciplina de educação física; um diário de bordo, a partir de uma viagem, poderia valer para créditos em estudos sociais; um recital, para ganhar nota na disciplina de música. Essas seriam situações em que a avaliação não vem da escola, mas do cotidiano desses jovens, do mundo real deles. 7. Personalização A avaliação precisa ser personalizada ao aluno, não padronizado para o sistema. Plataformas vêm surgindo para trabalhar de maneira individual o ensino. A Knewton, por exemplo, é uma das mais importantes do mundo. O ambiente virtual entrega o conteúdo aos alunos de diferentes formas e lhes propõe atividades ou exercícios, de acordo com o desenvolvimento de cada um. 8. Portfólios virtuais Os portfólios virtuais podem ser uma boa opção para que os estudantes reúnam suas produções – sejam músicas, desenhos, textos, vídeos etc. Esses materiais podem ser hospedados em um blog, na intranet da faculdade e da escola ou até mesmo em programas gratuitos adotados pelo professor para compartilhamento de arquivos. Uma plataforma nova que pode ajudar os alunos a construírem seus portfólios é aKnowit App. O Porvir escreveu uma matéria sobre como os blogs, que podem ser usados como portfólios online, são boas ferramentas para melhorar a escrita dos alunos e também ajudam professores a trabalhar temas como uso de mídias sociais, cidadania digital e direitos autorais. Fonte: MSN, 12/03/13 http://www.portalinstitutounibanco.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=291&catid=1&Itemid=291